Novo teste de Alzheimer detecta doença antes dos sintomas

Diagnóstico precoce busca ajudar médicos a tratar o mal de forma eficiente

Publicado em 09/10/2017
Senhor de idade avançada

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Zagreb, na Croácia, divulgou um novo teste de Alzheimer que detecta a doença de forma precoce. Não invasiva, a descoberta tem a capacidade de diagnóstico antes mesmo que os primeiros sintomas do Alzheimer fiquem evidentes.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores realizaram exames neurológicos em 20 indivíduos com idade entre 63 e 87 anos. Dez dos participantes possuíam habilidades cognitivas normais, enquanto a outra metade apresentava alguns sinais de comprometimento. 

Todos eles foram submetidos a um exame chamado magnetoencefalografia para mapear o cérebro. Dessa forma, os especialistas descobriram que as regiões pré-frontais dos cérebros dos participantes saudáveis ​​reagiram aos testes realizados, no entanto o mesmo não aconteceu com os participantes que apresentavam sintomas, embora a doença não fosse comprovada.   

É altamente provável que esses indivíduos tenham uma fase pré-clínica de Alzheimer, uma vez que mostram danos neuropsicológicos e neurofisiológicos característicos desse tipo de demência”, disse Sanja Josef Golubic, que fez parte do estudo divulgado na revista científica Human Brain Mapping.

Ainda não existe cura para o Alzheimer, porém alguns tratamentos são capazes de diminuir os sintomas que podem persistir por dez anos, antes de provocar demência nos pacientes. Com isso, os pesquisadores do novo estudo esperam que a descoberta possa, futuramente, ajudar os médicos a diagnosticar e tratar o problema de forma mais eficiente, já que com o avanço da expectativa de vida a incidência de Alzheimer vem aumentando cada dia mais. 

O grande desafio dos cientistas agora é detectar o aparecimento da doença em indivíduos com capacidade cognitiva intacta, assim, no futuro, será possível reverter o processo. 

Foto: Divulgação/Pixabay