Odor humano é usado no combate a mosquitos transmissores

Invenção feita por cientistas tem como objetivo atrair o mosquito para armadilha

Publicado em 18/08/2016

Uma solução 100% ecológica foi desenvolvida na Holanda com o objeitvo de combater mosquitos, e isso a partir do cheiro humano. Os pesquisadores da Universidade de Wageningen e do Instituto Suíço de Saúde Pública e Doenças Tropicais desenvolveram um tipo de sifão em forma de sino que exala um cheiro semelhante ao do corpo humano, atraindo os insetos vetores de doenças.

Testado no Centro de Fisiologia e Ecologia dos Insetos no Quênia, o estudo foi feito durante três anos e mostrou que os mosquitos transmissores da febre amarela diminuíram em 70% na ilha de Rusinga. Para que a armadilha obtivesse o cheiro humano, foram inseridos dióxido de carbono ou ácido láctico, que atraem os mosquitos para serem sugados imediatamente. A invenção foi pendurada em forma de sino na frente de algumas casas, que apresentaram uma incidência de infecções 35% menor do que os demais.

Segundo o professor Willem Takken, líder do estudo, a armadilha pode ser usada para outras espécies e não somente para transmissores de malária (objeto do estudo). Além disso, Takken afirma que o processo todo é ecológico, sem a utilização de inseticidas, incluindo a energia para mover o ventilador que provém de painéis solares. “Os mosquitos não desenvolverão resistência", garante.

Foto: Divulgação